SÉ CATEDRAL DE BISSAU

Nossa Senhora da Candelária

Noticias

Noticias

Páscoa | 2017

Por Assana Sambú
Fotos: Marcelo N'Canha Na Ritche


Foto da Catedral

Páscoa: Bispo de Bissau Apela aos Cristãos a não Perderem Esperança na Luta Contra o Mal

O Bispo da Diocese de Bissau, Dom José Camnate Na Bissing apelou ontem a noite, 15 de abril de 2017, os cristãos a inspirarem-se dos fundamentos da Páscoa para lutarem, com Fé, contra o mal que aflige a nossa sociedade e construir um mundo solidário e justo alicerçado na partilha, na comunhão e no amor.

Foto da Catedral Perante os fiéis reunidos na Sé Catedral de Bissau, o líder da Igreja Católica guineense que falava na Homilia na noite pascal de "Aleluia", lembra aos presentes que a "Páscoa fundamenta a esperança dos cristãos num mundo melhor".

Referindo-se a Ressurreição de Jesus Cristo depois da paixão e morte, segundo a Fé cristã, Dom Camnate assegurou que a "Páscoa cristã acontece sempre na luta permanente entre o bem e o mal, como também entre a morte e a vida". Sublinhando que a referida luta não é exclusiva dos cristãos, mas, sim, de todos os homens de todas as raças, de todas as culturas e de todos os credos.

Foto da Catedral "Na luta que estamos a travar no nosso país, todos temos a sensação de que o mal e a morte estão a sair vitoriosos. Isto torna-se claro nas prisões de sofrimentos que suportamos, nas dificuldades da vida social, económica e política. Mas quero crer que a sexta-feira de paixão e sofrimentos que temos vindo a viver e parece nunca mais passar, vai dar lugar um feliz dia de Páscoa. A nossa sensação de mal-estar, desânimo e frustração é idêntica a dos apóstolos, quando assistiam a morte de seu mestre e líder", notou.

Segundo o calendário cristão, a Páscoa consiste no encerramento da chamada Semana Santa. A Semana Santa é a última semana da Quaresma, per&iacueteodo em que os fiéis cristãos devem permanecer por 40 dias em constante jejum, caridade e muita oração.

De referir que a Páscoa é a mais importante festa da comunidade católica, o dia foi estabelecido por decreto do Primeiro Concílio de Niceia (ano de 325 d.C), devendo ser celebrado sempre ao domingo após a primeira lua cheia do equinócio da primavera (no Hemisfério Norte) e outono (no Hemisfério Sul).