SÉ CATEDRAL DE BISSAU

Nossa Senhora da Candelária

Jornada Diocesana do Bispo

JORNADA DIOCESANA DO BISPO

Marcha Desportiva

"Marcha Desportiva Alusiva a Jornada Diocesana do Bispo"

Por António Tavares
Fotos: Ednaida Teixeira

Mais de duas centenas de fiéis católicos, de diferentes paróquias, concentraram-se, no dia 2 de abril, as seis de manhã, na rotunda do aeroporto Osvaldo Vieira, para a marcha desportiva alusiva à Jornada Diocesana do Bispo, uma jornada extensiva às actividades desportivas e culturais.

A marcha marca o arranque das actividades desportivas programadas pela comissão organizadora.

Os participantes, vindos de todas as paróquias do Sector Pastoral de Bissau, na maioria jovem, afluíram em massa a pedido da comissão. O ambiente foi muito animado, com canções e danças durante toda a caminhada. Todos se dirigiram para a Cúria Diocesana, onde se deviam encontrar no fim da marcha. Durante a caminhada, os mais velhos aproveitaram a ocasião para desencravar os músculos, ao mesmo tempo em que desfrutavam de momentos de oração e de meditação.

Foto da Catedral É o caso da senhora Maria Diodata Mendes Medina, da paróquia Sto. António de Bandim, funcionária das alfândegas, que, explicando a razão da sua participação, disse: "participei nesta marcha por ser católica e decidi acompanhar o meu bispo, para que a minha diocese cresça na fé em Deus". Sobre a mensagem a deixar, apela a todos para uma participação massiva nas marchas, para orar e dar coragem aos que já perderam toda a esperança, para rezar a Jesus porque é o único que pode salvar os homens. Disse igualmente que esta marcha traz a solidariedade e o amor; que quando caminhamos em oração, na alegria, em louvor, cantando, Deus perdoará o nosso pecado e fará erguer o nosso país. Fará crescer a nossa diocese no amor e na fé. "Os cristãos católicos têm que mostrar ao mundo que a igreja que temos é o verdadeiro templo de Deus".

Foto da Catedral Por seu lado, Jorge Caetano, paroquiano da Sé Catedral de Bissau, jurista, que participou da marcha pela fé que tem em Deus e porque quer ser solidário com o Bispo, sente-se obrigado a dar exemplo pelo que devia estar na linha da frente, por pertencer a paróquia da Catedral, donde partiu a iniciativa da Jornada do Bispo. Segundo Jorge, enquanto jovem, participava nas marchas desportivas e garantiu que essa retoma vai ser uma alavanca para nunca mais parar. Contou ainda que a marcha faz bem a saúde e é uma forma descontraída de orar e de louvar a Deus. Promete estar outra vez na linha da frente, na marcha do próximo dia 16 de Abril corrente.

Ao longo da caminhada, muito animada pelos jovens e adolescentes, após cinco quilômetros, a comitiva foi ao encontro do Bispo auxiliar, Dom José Lampra Cá, na Cúria diocesana, o qual saudou a todos os participantes com estas palavras: "Em nome do Bispo D. Camnaté e da diocese de Bissau, quero agradecer pela iniciativa dos fiéis da Igreja Católica da diocese de Bissau". Acrescentando, mostrou ainda que "São sinais fortes que estamos a dar e que traduzem o tipo da jornada diocesana que o bispo deseja". Continuando o discurso o Bispo chamou atenção sobre a pergunta que fizeram aos paroquianos da qual aguardam as respostas: "Nesses dias, estivemos em vários sectores e terminamos no dia 01 de abril, no Sector Pastoral de Bissau. E o que sempre repitimos é que a Jornada Diocesana do Bispo quer que cada um de nós responda a essa pergunta: O que é que um fiel católico desta diocese pode fazer de bom para a diocese a que pertence? Quando respondermos a essa pergunta, responderemos ao que dizemos ser a pertença assumida; o que significa que se pertencemos a uma família não devemos esperar que o chefe dessa família fizesse tudo. Por exemplo, limpar a casa, cozinhar, ir ao mercado e tudo. Mesmo sendo o menor da família, pode-se realizar algo. É a ideia da co-responsabilidade. Ideia de unir as forças naquilo que nos pertence a todos. Assim a nossa família será forte porque somos membros activos e não passivos. Estaremos em condições de perguntar ao Bispo o que pode fazer por nós e vice-versa. Ou seja, o que podemos também fazer pelo Bispo".

Foto da Catedral O Bispo auxiliar, mandatado pelo Bispo Dom José Camnaté para receber os participantes da marcha, pediu para que os cristãos fossem colaboradores do bispo, em tudo o que podem ser úteis: "Os católicos são tantos, e se todos estiverem unidos com o bispo e com a diocese todos os dias, aconteceriam milagres". É o que estamos a ver. Isto é milagre! A ideia desta jornada é para que cada um assuma a sua pertença. A sua responsabilidade, ser activo. Se a diocese precisa de médicos, tem que haver uma reposta tal como está a acontecer neste preciso momento com as consultas que estão a ser feitas; se a diocese precisa de jornalistas, tem que haver uma resposta tal como está a acontecer neste momento; se a diocese precisa de um financiamento para uma universidade, tem que haver uma resposta". D. Lampra terminou o seu pequeno discurso, improvisado, com uma bênção aos participantes da marcha desportiva alusiva a Jornada do Bispo. Mas nem tudo ficou por aí, médicos e técnicos de saúde, sob a coordenação do Dr. Francisco Aleluia Lopes, dando a contribuição que podiam dar como cristãos, armaram equipamentos sanitários na cúria diocesana para o atendimento dos pacientes, sobretudo, os hipertensos, diabéticos, bem como para fazer a colheita de sangue para os que podiam e queriam contribuir, doando sangue para os que mais necessitassem. Essa colheita será depois conduzida aos principais hospitais do país.

Foto da Catedral Dr. Chico, coordenador dos técnicos e médicos religiosos, explicou como foi a iniciativa de atender os doentes associada a Jornada Diocesana do Bispo e as orientações a seguir.

A mini-marcha que iniciou, em jeito de preparação para a mega-marcha no dia 16 de abril, seguir-se-á várias actividades, entre as quais, almoço de confraternização, concursos de canções, poesias, jogos e um encontro com bispo D. José Camnaté Na Bissing, no Liceu João XXIII.

A comissão garantiu que o bispo está disposto para acolher todos os cristãos da sua diocese.