SÉ CATEDRAL DE BISSAU

Nossa Senhora da Candelária

Noticias

Noticias

Entrevista ao Casal Varela e a um Recém-Batizado

Por António Tavares
Fotos: Policiano Gomes


Foto da Catedral

Entrevista ao casal Varela

A Missa Solene da Vigília Pascal contou com a presença, como sempre, do casal Varela, no mesmo local, na primeira fila do banco a frente, na Sé Catedral de Bissau.

O casal falou ao Site da Catedral de sua experiência quaresmal ao longo dos anos, da ressurreição e Mário Fernando, um dos adultos batizados, do seu renascimento.

Dona Lourdes recebeu a experiência quaresmal através de sua mãe que era católica. O pai era protestante, mas teve a inclinação pela mãe que via a jejuar sempre e não sabia a razão. Um dia perguntou e recebeu a resposta da mãe: "o jejum é como o remédio. Quem jejua limpa a alma e cura o espirito". A partir daquela data a dona Lourdes decidiu acompanhar a sua mãe e logo no primeiro ano fizeram 40 dias juntas a jejuar.

No fim de tudo acabou por confirmar que aquilo que dizia a mãe, de que jejum é um remédio concretizou-se na sua vida. Disse-nos, com uma voz bem segura, que é uma linda experiência, e que até então continua a cumprir com o seu jejum, afinal, disse ela, quem consegue jejuar até ao fim é recompensado.

Mostrou-se um bocado confusa com o comportamento de alguns cristãos que ao longo da quaresma jejuam e não alimentam. "Jejuar é não comer sim, mas deve-se alimentar de outra coisa, da palavra de Deus. A bíblia é o nosso alimento durante o jejum".

Por sua vez, Sr. Varela disse que iniciou a prática da abstinência quaresmal após o seu casamento (pela Igreja) com dona Lourdes. Uma união conjugal que já dura 38 anos e 41 no civil.

Foto da Catedral Ao longo desses anos, no período quaresmal, oram durante o dia, alimentam da palavra de Deus e só assim conseguem acompanhar o jejum. Assegura o marido que é através da palavra de Deus que se pode acompanhar o Jejum, caso contrário ficará incompleto. Apesar da idade que pesa sobre seus ombros, disse que, ainda assim continua a cumprir na medida de suas possibilidades. "A abstinência quaresmal, sobretudo o jejum, alivia-nos do mal, conseguimos tudo, as nossas intenções e o nosso objetivo".

Viver a quaresma hoje em dia não é nada diferente com que se viveu ao longo dos anos, disse a dona Lourdes.

"Para viver a quaresma tem que se abrir o coração a Deus. Pedir perdão a Deus e perdoar os que te ofendem. Caso contrário em nada serve a nossa quaresma. Porque é tempo de preparação".

A senhora Varela, com muitos anos de experiência cristã, disse que é preciso saber preparar para a ressurreição. Se durante todo este período quaresmal não prepararmos, ao chegar a Vigília Pascal não se pode dizer aleluia. Em nada serve. Estranha-se porque tem a certeza que há tantos que vão a igreja, simplesmente para cumprir o ritual, dizem que são cristãos mas não sabem preparar a ressurreição de Cristo. Há outros que dizem ser Cristãos e não vão a Igreja. Para que vale um Templo sem os fiéis adoradores, interroga. Tendo um templo no qual podemos adorar Deus, porque ficar em casa? Vários convites disse ter feito, durante este período quaresmal, há algumas pessoas, que bem se sabe, que são cristãos, qual foi a resposta. De que rezam em casa e lá jejuam. Não pode ser, rematou. "Temos um templo do qual devemos juntar todos em oração para pedir para o nosso país que se encontra em crise, porque o país precisa de muita oração".

Ressuscitados com Cristo o sentimento é de nova criatura, declara o casal varela.

Sentem-se como uma nova criatura, porque a velha desapareceu. Limparam as almas através da leitura da bíblia, através dos conselhos que dão e recebem. Declaram ser, após mais uma vigília pascal, uma nova criatura em Cristo Jesus.

Foto da Catedral
Apelam para que todos cristãos aproveitem, no máximo, cada período quaresmal. "Se todos andam a cumprir os preceitos bíblicos, durante a quaresma, conseguimos uma vida bonita, uma vida sã. Conseguimos partilhar com todos os nossos amigos as nossas alegrias e os dessabores. A eles damos a nossa palavra de conforto. Quaresma é o tempo que nos ajuda a reconciliar com Deus, com nossos amigos e com os nossos próximos".

Um convite quis o casal deixar neste momento conturbado que o país vive.

Diz-nos o casal que devemos abrir o nosso coração. Devemos aceitar Cristo como salvador que é único e não há outro. "Se todos os guineenses aceitassem Cristo como Salvador o país não estaria como está". Com um ar triste, mas de esperança a dona Lourdes disse que a Guiné estaria melhor se deixássemos as intrigas, se deixássemos de atirar-se um ao outro, contra o nosso semelhante. Porque quem tem Cristo tem tudo. Não deixa transparecer o mal porque ele é amor, ele é misericordioso. Porque quem tem Cristo em si, transmite esse amor, essa misericórdia que ele tem aos outros.

Em unânime, responderam que Cristo é o pilar, o segredo da longevidade dessa união.

"Cristo é o nosso Pilar. Ele é o segredo que fez com que o nosso casamento durasse muitos anos e a força para continuarmos felizes.

No mesmo sábado da Vigília Pascal, Mário Fernando, um dos adultos batizados, expressou a sua alegria, a razão da sua opção, nesta fase adulta.

Foto da Catedral "Hoje aceitei uma nova vida, entrei na fileira dos cristãos". Sonhos que tinha foram realizados, disse que comeu o corpo de Cristo e bebeu o seu sangue. Está convicto que está salvo. Mário Fernando comprometeu-se em integrar-se mais na comunidade para poder fortificar a sua fé e continuar a confiar. Acredita que pode salvar e pode ajudar a salvar os outros. Quer que todos saibam que Cristo é um ser real. Um caminho reto, limpo. "Por isso pensei e voltei para trás para recomeçar. Optei por este caminho porque vi que aqui é que tem a verdade. Não há outro caminho que não seja o de Cristo. Outros existem mas é para esbanjar o dinheiro e nada mais".